Bolsonaro intervém por policiais na reforma da Previdência

Após ser pressionado e chamado de “traidor” por policiais civis e federais, o presidente Jair Bolsonaro teria intervido pessoalmente para que trecho da reforma da Previdência sobre aposentadoria das carreiras de segurança mantidas pela União fosse modificado. Bolsonaro falou por telefone com o relator da proposta na Câmara, Samuel Moreira (PSDB-SP), e com outros deputados, em busca de termo que atendesse as categorias.

De acordo com a folha, os contatos do presidente foram feitos por meio do telefone do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), diz o MSN.

Uma das alterações feitas em versão do texto apresentado nesta 3ª feira foi a pensão integral por morte para policiais. O benefício será concedido em todos os casos ligados ao exercício da profissão. No parecer anterior, valia apenas para mortes decorrentes de agressões no exercício da função.

Deputados do próprio PSL –partido de Bolsonaro– também pressionaram para que trecho sobre a idade mínima para policiais também fosse alterado. No entanto, o relator da reforma disse que essa categoria já estava “bem preservada” na proposta.

Segundo o jornal, ficou acertado que o ministro da Economia, Paulo Guedes, não se manifestará sobre a alteração das normas para agentes das forças de segurança.

03/07/2019